Medidor de gordura no leite Medidor de gordura no leite Medidor de gordura no leite

       




A empresa de Londrina/PR Laktron só foi capaz de melhorar a sua capacidade de medir a quantidade de gordura do leite depois que desenvolveu um aparelho em conjunto com o Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (Cefet-PR). Trata-se de um equipamento optoeletrônico microprocessado com calibração automatizada que, por meio da análise por turbidimetria, determina o quanto de luz é desviada quando passa pelo leite. Quanto maior o desvio, maior a quantidade de gordura. Com essa relação, descobre-se a quantidade de gordura do leite, fator determinante na definição dos preços deste produto. Acontece que esta relação não é linear, o que exige um processamento matemático para que o resultado seja preciso. A equipe de Fábio Schneider desenvolveu um software superior ao anterior para cumprir esta função. Os equipamento tradicionais requerem calibração manual, que envolve a análise química do leite e requer mão de obra especializada e um tempo que pode levar de 30 minutos a quatro horas. Na calibração automática basta inserir amostras de valor determinado quimicamente e operar botões, sendo concluída em poucos minutos " Além adisso a repetibilidade e exatidão são muito superiores em comparação com o modelo antigo", diz Schneider.

No novo modelo, o tempo para medição foi reduzido e a interface com os usuários foi melhorada. Uma das principais tendência da instrumentação é a ligação com computadores, o que amplia bastante os recursos do medidor. O próprio sistema do medidor de gordura encarrega-se de guardar as principais informações sobre as amostras analisadas. Elas depois são manuseadas facilmente em um computador ou podem ser impressas através da comunicação do equipamento com a impressora. O resultado das últimas quatro amostras ficam em uma tela de cristal líquido. Antes o usuário tinha que anotar cada uma das medições em um papel. Com a nova configuração pode-se por exemplo, tirar relatórios com extrema facilidade. O equipamento permite a realização de uma análise a cada 25 segundos. Um outro diferencial agregado é a maior possibilidade de variar parâmetros, pois para cada raça de gado, os parâmetros de medição variam. O aparelho anterior tinha apenas duas faixas, o que comprometia a precisão.

Esta primeira etapa do projeto foi concluída em seis meses, consumiu cerca de 22 mil reais em valores de custeio e 50 mil reais em investimento. Gerou um produto que foi lançado numa feira nacional para equipamentos destinados a laticínios em julho de 1998. Numa segunda etapa a Laktron e o CEFET/PR através do Programa de Apoio Tecnológico às Micro e Pequenas Empresas (PTME) do Sebrae e da Finep desenvolveram um equipamento capaz de medir dois outros parâmetros do leite: proteína e lactose. O projeto inteiro que incluiu ainda a medição dos parãmetros lactose e proteína está orçado em 200 mil reais. A medição destes parâmetros está ligada à produção de derivados. por exemplo, qual é o melhor tipo de leite para se fazer determinado tipo de queijo. A idéia da Laktron é oferecer aos cerca de 100 usuários de equipamentos que já estão no mercado a possibilidade de troca. Como o novo equipamento custará o mesmo que o antigo, a versão mais simples terá o preço reduzido. Os direitos de propriedade intelectual e industrial são da empresa

"Uma das vantagens da instituição de ensino é a multidisciplinaridade. Um projeto desse tipo envolve várias áreas do conhecimento", diz Ronaldo Piazzalunga, diretor da Laktron. O professor Fábio Kurt Schneider, do Laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento do Núcleo de Engenharia Hospitalar, foi o responsável pela condução do projeto. Ele já conhecia a empresa e suas demandas. O trabalho teve início em julho de 1997 e envolveu dois doutores, um mestre e um engenheiro e um aluno de graduação. Eles pesquisaram novos métodos de homogeneização do leite e técnica opticas para análise de seus componentes. Acabaram por desenvolver um equipamento optoeletrônico microprocessado com calibração automatizada.

O índice crioscópio (IC) corresponde à temperatura de congelamento do leite, cujo valor varia normalmente entre - 0,553 e - 0,551º C, portanto, em temperaturas inferiores a da água. Isso se deve à presença de componentes lácteos solúveis em água, principalmente os minerais e a lactose. Contudo, os componentes insolúveis do leite, como a proteína e a gordura, não interferem no valor do IC. Deste modo, as alterações encontradas nesse índice revelam, geralmente, adição de água ao leite, porém, não são relacionadas ao desnate ou variações na alimentação dos animais. A adição de água ao leite pode ser intencional ou acidental. Dentre as possibilidades de adição acidental de água, destacam-se os resíduos de água nos latões e drenagem incompleta após a limpeza dos sistemas de ordenha ou tanques de resfriamento.

A densidade normal do leite situa-se entre 1,027 e 1,033. Este valor decorre da presença dos vários componentes, diluídos ou não na água que constitui o leite, os quais apresentam densidades variáveis. Destes, a gordura é único elemento que apresenta densidades do a água (esta é a razão pela qual a gordura sobe quando o leite é armazenado no latão ou tanque). Os demais componentes do leite densidade acima de 1, o que indica que valores abaixo deste nível pode significar adição de água, ou seja, diluição do leite. Inversamente, a obtenção de um valor acima do parâmetro normal indica, provavelmente, leite com teor muito baixo de gordura ou fraude por desnate do produto.

A Laktron, que fatura cerca de 1 milhão de reais por ano, quer continuar a contar com parcerias acadêmicas para ampliar as atividades. "O medidor de gordura é apenas o primeiro projeto. Vamos recorrer às universidades mais vezes", diz Piazzalunga. Além de medidores de água e medidores de gordura , a empresa produz medidores de ruídos, os decibelímetros, que deverá ter uma nova versão a partir de uma nova parceria com uma instituição de ensino "Não podemos estar desatualizados. Em eletrônica se dorme na ponta e se acorda atrasado", diz Piazzalunga.

Fonte:
http://www.bichoonline.com.br/artigos/ha0012.htm
http://www.finep.gov.br/premio/pre_1999.htm

acesso em junho de 2002
Tecnologia & Inovação para a indústria, Sebrae, 1999, página 82
envie seus comentários para otimistarj@gmail.com.


Esta página não é uma publicação oficial da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro, seu conteúdo não foi examinado e/ou editado por esta instituição, tampouco foi realizada qualquer análise de mérito ou técnica nas invenções descritas. A responsabilidade por seu conteúdo é exclusivamente do autor. .