Tênis Cromic Aerobase Tênis Cromic Aerobase Tênis Cromic Aerobase

       






Os tênis para caminhadas Crômic Aerobase, com tecnologia desenvolvida pela UFMG, serão vendidos a partir de final de julho pela Coopmed, que tem lojas no térreo do prédio da Faculdade de Medicina e na Praça de Serviços do campus Pampulha. No próximo dia 9 de julho, o produto passa a ser comercializado em Belo Horizonte por uma grande rede de calçados – a Itapuã –, com lojas em pontos como o shopping Del Rey, na Zona Norte. Até agora, o tênis era vendido na capital apenas por lojas de bairro. Criado no Laboratório de Bioengenharia do Departamento de Engenharia Mecânica, o tênis é fabricado pela empresa Crômic Indústria e Comércio de Calçados Ltda, na cidade de Nova Serrana, no Centro-Oeste de Minas Gerais – a cidade é responsável por 52% da produção de calçados esportivos no país. Segundo o diretor executivo da Crômic, Junior César Silva, o tênis, fabricado em dois modelos, apresenta o terceiro melhor resultado em vendas (por número de pares) e o maior faturamento da empresa, que produz 20 linhas de calçados.

O Crômic Aerobase foi lançado em janeiro deste ano, e no mês seguinte chegou às lojas. Hoje ele é vendido em todo o Brasil, por preços que variam entre R$ 80 e R$ 100. O sucesso do produto é creditado pela empresa a uma série de fatores. “Os tênis atraem primeiro pelo design e ganham o cliente assim que ele experimenta, pelo conforto que se percebe na hora”, diz Júnior César Silva. “Além disso, a chancela da UFMG está explícita na caixa e numa etiqueta presa ao calçado.” Uma campanha veiculada pela TV desde abril tem alavancado as vendas no interior de Minas Gerais (veja o filme). Segundo o diretor da Crômic, a empresa tem intenção de estender a parceria com a UFMG. Uma segunda etapa do projeto que deu origem ao Aerobase teria o objetivo de criar um produto que se adaptasse às condições de peso dos diferentes usuários e às deformações das pisadas.

Próprio para caminhada, o Cromic Aerobase reúne ao conforto e ao design condições especiais de amortecimento, e é piloto de uma série de projetos que começam a surgir por demanda na região de Nova Serrana. A grande inovação do tênis é a geometria do solado, associada ao design do cabedal (parte superior do tênis) criado para ele, o que exigiu levantamento de cores e de tendências e adequação dos materiais aos vários aspectos de conforto, como maciez, sensação térmica e gasto de energia. O tênis foi desenvolvido em parceria com a Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CT&IT), da UFMG, e com apoio do Instituto Euvaldo Lodi (Fiemg), da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e do Sebrae. O processo de transferência de tecnologia de pesquisas patenteadas prevê repasse, para a UFMG, de percentual sobre a venda do produto. Os recursos são destinados a um fundo de pesquisa e aplicados para financiar novos projetos e a política de patentes da Universidade. A professora Heloíza Helena Ribeiro Schor, coordenadora do Setor de Transferência de Tecnologia da CT&IT, comemora a chegada do produto aos campi da UFMG e o sucesso de vendas. O mais importante, porém, segundo ela, é o envolvimento da UFMG em um projeto de inovação, com ênfase na formação de recursos humanos (além de cinco professores, o projeto do Aerobase envolveu cinco alunos de graduação e cinco de pós-graduação). “Ganhamos know-how na pesquisa de calçados e nossos laboratórios estão se equipando para novos desafios”, diz Heloíza Schor.

Fonte:
http://www.ufmg.br/online/arquivos/012369.shtml
acesso em janeiro de 2010
envie seus comentários para otimistarj@gmail.com.


Esta página não é uma publicação oficial da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro, seu conteúdo não foi examinado e/ou editado por esta instituição, tampouco foi realizada qualquer análise de mérito ou técnica nas invenções descritas. A responsabilidade por seu conteúdo é exclusivamente do autor. .