Transmissão elétrica para moto Transmissão elétrica para moto Transmissão elétrica para moto

       




Refere-se o presente modelo a um novo mecanismo de transmissão de marcha para motos em geral. Modelo este que irá acrescentar um novo conceito no que tange o habitual pedal de clique, sem contudo, extingui-lo, e sim dar opção de escolha de acordo com o tipo de atividade desenvolvida. Ex: Moto Boy, Moto Velocidade, Moto Show etc. O funcionamento do presente modelo esta composto num conjunto onde envolve uma parte mecânica, sendo um motor transformado e adaptado em um suporte cujas medidas constantes neste deverão ser exatas, pois é no suporte que proverá reguladores da alavanca afixada ao motor adaptado. A alavanca que esta afixada se ligará através de uma haste confeccionada dentro de padrões específicos a uma outra alavanca que esta acoplada ao clique da moto. Esse mecanismo segue um rigoroso padrão de medidas para evitar que a caixa de marcha da moto sofra qualquer dano. O presente modelo será constituído também de um chicote elétrico cujo mesmo, será fabricado dentro dos padrões de segurança com materiais estritamente selecionados. Na extremidade do chicote, será lançado dois botões que enviarão sinais para um dispositivo que mandará as mensagens, para o conjunto motor-suporte e este por sua vez enviará para a caixa de marcha da moto efetuando assim a transmissão das marchas de acordo com a vontade do motociclista. Esses botões serão afixados preferencialmente no punho da moto onde através das mãos será dado o comando de 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e vice-versa.

O presente modelo, visa proporcionar ao deficiente físico condições de pilotar uma moto sem a utilização dos pés. Visa proporcionar melhores condições de pilotagem, eliminando reclamações no tocante ao desgaste dos sapatos, bem como mulheres que habitualmente, reclamam do desconforto e até mesmo de dificuldade em transmissão das marchas quando estão calçadas de sandálias, principalmente sandálias de salto alto. Isso tudo, sem falar do descanso proporcionado às pernas que ficarão durante uma viagem, no estado de repouso. O militar Wellington Lima dos Santos fez sua invenção em 2004, inicialmente para facilitar a vida de um amigo que perdera o movimento do pé e não queria deixar de andar em sua moto 125. O invento e foi solicitado um pedido de patente junto ao INPI. Na estrutura da moto não é feita grande mudança, mas do lado esquerdo da direção, abaixo do acelerador é colocado um dispositivo elétrico, que quando pressionado pelo motorista faz a troca de marchas, ação que em uma moto normal é feita com o pé.

Fonte: acesso em julho de 2005
Agradeço ao inventor Wellington Santos (josiane@sascertificadora.com.br) pelo envio de material em setembro de 2005 para composição desta página
envie seus comentários para otimistarj@gmail.com.


Esta página não é uma publicação oficial da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro, seu conteúdo não foi examinado e/ou editado por esta instituição, tampouco foi realizada qualquer análise de mérito ou técnica nas invenções descritas. A responsabilidade por seu conteúdo é exclusivamente do autor. .