Turbina eólica horizontal Turbina eólica horizontal Turbina eólica horizontal

       




Uma turbina horizontal movida por energia natural, que trabalha ao ar livre com vento foi desenvolvida pelo inventor autônomo Isac Gonçalves Ribeiro, da cidade de Matinhos, no Paraná, que já comercializa painéis de propaganda "movidos a vento". Patenteada por seu criador, a turbina é formada por uma estrutura metálica, peças de caldeiraria e engrenagens e pode funcionar também mergulhada em água corrente. "Venho desenvolvendo projetos com energias alternativas há mais de 15 anos, já prevendo a falta de energia no país. Agora, querem saber como funciona", diz Ribeiro. Segundo o inventor, a turbina eólica trabalha na horizontal e em coluna baixa, o que abaixa seu custo. "Enquanto as turbinas importadas custam cerca de R$ 3 milhões, a tecnologia que desenvolvi pode ser produzida, no máximo, por R$ 500 mil. Além disso, depois de instaladas quase não precisam de manutenção", afirma.

Funcionando até o momento como protótipo, o equipamento - que transforma vento em energia mecânica - passará a ser fabricado em João Pessoa, na Paraíba, para abastecer geradores com capacidade de 10 quilowatts até 2 megawatts. O projeto é da empresa Alternativa Energética, que pretende ter uma fábrica escola de energia eólica produzindo a partir de meados do próximo ano. "Até dezembro, estaremos com o projeto piloto desenvolvido", diz o diretor da empresa Peregrino Barros. O empresário diz que o investimento inicial da fábrica escola será de R$ 7 milhões e irá fornecer energia eólica por um terço do custo dos geradores existentes atualmente no mercado brasileiro. "A vantagem é que teremos todo o material fabricado no Brasil", conta. Os aerogeradores, fabricados a partir da tecnologia desenvolvida pelo inventor do Paraná, serão ligados a geradores fornecidos por uma empresa de Santa Catarina.

Segundo Barros, existem contatos com várias empresas da Paraíba e do Ceará para o fornecimento do equipamento. "Já temos acertadas encomendas para o Meg Shopping, em João Pessoa, e com duas prefeituras paraibanas, a de Cabedelo (cidade portuária) e Diamante (no alto sertão), que querem usar energia eólica para irrigação. Nos dois municípios, os projetos estão na fase de aprovação na Câmara.

Fonte: http://www.estadao.com.br/ciencia/aplicada/2001/out/10/74.htm
acesso em maio 2002
http://www.movidoavento.com
acesso em junho 2005
Agradeço ao inventor Isac Gonçalves (movidoavento@onda.com.br) por ter feito a revisão desta página em junho de 2005
envie seus comentários para otimistarj@gmail.com.


Esta página não é uma publicação oficial da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro, seu conteúdo não foi examinado e/ou editado por esta instituição, tampouco foi realizada qualquer análise de mérito ou técnica nas invenções descritas. A responsabilidade por seu conteúdo é exclusivamente do autor. .